sexta-feira, 30 de maio de 2008

Bang Nº 4


Já está disponível no site da Saída de Emergência o 4º número da revista Bang que pode ser descarregada gratuitamente. Apesar de ser uma oferta generosa, não deixo de ter pena de não poder sentir a revista nas mãos, o cheiro... Como ficaria bonita uma revista em papel com aquela bela capa gótica, muito a propósito do conteúdo que oferece uma história de Edgar Allan Poe, entre outros:

Ficção
Os Óculos - Edgar Allan Poe
A Pintura Junto ao Mar - José Manuel Lopes
Ele - H. P. Lovecraft
Oberon - Wolmyr Alcantara
A Encomenda - Inês Botelho
Shoah - Miguel Garcia
Bem-vindos à Terra do Nunca! - João Barreiros
O Ladrão de Memórias - Nuno Travesso

Não ficção
Cidades Míticas - António de Macedo
Pulp Fiction à Portuguesa - Regulamento
Antologias, Fantasias & Odisseias - Luís Filipe Silva
5 Estrelas - David Soares
Colecção Bang! - Apresentação do Segundo Trimestre

terça-feira, 27 de maio de 2008

Snow White: The Fairest of Them All


Quando este telefilme há alguns anos, lembro-me de ter achado amoroso. Agora, ao deparar-me com o DVD na Fnac não resisti a comprar e mostrar às minhas filhas que, apesar de ser em inglês, adoraram e viram 2 vezes seguidas. É uma versão diferente da clássica. A Branca de Neve é das mais bonitas que já passaram pelos ecrãs! E a Miranda Richardson em Rainha Má não está nada mal.

domingo, 25 de maio de 2008

Tempo de Cerejas!


Life is just a bowl of cherries.
Don't take it serious; life's so mysterious.
You work, you save, you worry so,
But you can't take your dough when you go, go, go.
So keep repeating it's the berries,
The strongest oak must fall,
The sweet things in life, to you were just loaned
So how can you lose what you've never owned?
Life is just a bowl of cherries,
So live and laugh at it all.
Excerto de Life Is Just A Bowl Of Cherries de George Gershwin
Ah, as cerejas! Como-as como se aquelas à minha frente fossem as últimas à face da terra, faço brincos com elas, lembram-me calor... Poucos prazeres de boca serão tão saudáveis. E até tenho uma Princesa Cerejinha, que veio depois da Princesa Moranguinha!

sábado, 24 de maio de 2008

Cassiel's Song - Nick Cave

Este é um dos temas da banda sonora do filme "Faraway So Close". Poético, encantador, está para sempre no meu coração (juntamente com o antecessor "Wings of Desire"). É pena o som ser tão mauzinho...

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal

Por incrível que pareça, fui ver este filme no dia de estreia! Só possível pela ausência das miúdas a passarem uns dias nos avós. Não me desiludiu como entretenimento, tem muitos piscares de olho aos filmes anteriores da saga e a outras películas (por exemplo, quando Mutt surge pela primeira vez, faz lembrar Marlon Brando...). A idade não afectou os protagonistas e até se brinca com isso. Ainda assim, fica aquém dos anteriores, falta-lhe o "toque mágico", e pareceu-me que a ideia dos extra-terrestres foi um pouco rebuscada. Rosewell, mais uma vez, seres super-inteligentes parece-me a saída fácil para muitos enigmas do passado...

Fomos ver ao Fonte Nova, ao qual gosto de permanecer fiel pois não é permitido comer na sal, logo, não há pipocas. Mesmo assim, há quem traga farnel de casa, é muito complicado estar 2 horas inteirinhas sem meter nada na boca! Duas horas a ouvir o resmalhar de plásticos e papéis, substituindo o barulho das picocas e respectiva mastigação... E as pessoas agem como se estivessem em casa... Além disso, o som era péssimo, o que me deixou verdadeiramente desiludida. Por isso, quando abrir o Cinema City do Alegro (constou-me que está previsto para Junho), acho que vou pôr fidelidades de lado e aderir ao cinema pipoqueiro (que já sou "obrigada" a frequentar com as miúdas). Já conheço a cadeia e os espaços são muito simpáticos e dinâmicos.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

2000


2000 visitas a este singelo bloguezinho, tantas vezes deixado à míngua por longos períodos...:) É caso para dizer: 2001 - Odisseia no Ciberespaço (já sei, trocadilho tão previsível...).

Alentejo



Horas mortas... curvadas aos pés do Monte
A planície é um brasido... e, torturadas,
As árvores sangrentas, revoltadas,
Gritam a Deus a bênção duma fonte!

E quando, manhã alta, o sol postonte
A oiro a giesta, a arder, pelas estradas,
Esfíngicas, recortam desgrenhadas
Os trágicos perfis no horizonte!

Árvores! Corações, almas que choram,
Almas iguais à minha, almas que imploram
Em vão remédio para tanta mágoa!

Árvores! Não choreis! Olhai e vede:
-Também ando a gritar, morta de sede,
Pedindo a Deus a minha gota de água!
Florbela Espanca

terça-feira, 20 de maio de 2008

Anel Oculto

Mais outra tradução saída dos meus dedinhos! Não deixem também de visitar o fórum onde a Saída de Emergência está a oferecer exemplares desta bela obra de fantasia. E já agora, participem e comentem!

Depois de nos maravilhar com a Trilogia das Jóias Negras, a autora regressa ao mundo que a fez vencer o prémio Crawford Memorial Fantasy Award. Desta vez para nos contar a história de Jared, um Senhor da Guerra de jóia vermelha. Jared transgrediu todas as regras ao assassinar a sua rainha. Mas no reino dos Sangue, são poucos os homens que podem sobreviver sem estar sob a vigilância de uma rainha. Conseguirá Jared enfrentarar os seus próprios demónios e descobrir o significado de estar verdadeiramente ligado a uma Rainha?
Anel Oculto é um livro isolado, mas tem laços com os acontecimentos da trilogia — especialmente pela presença do inesquecível Daemon Sadi. O mundo de Bishop continua a ser gótico, sensualmente perigoso e por vezes violento. Um prazer de leitura para os fãs, e uma excelente descoberta para os novos leitores que são apresentados a uma sociedade complexa, exigente, e carregada de personagens tão reais que arrepiam