quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

À la Recherche du Temps Perdu


O meu momento Proust não foi desencadeado por uma madalena e sim por uma língua (de sogra?), que julgava só existirem nas padarias eborenses do meu passado, encontrada aqui por perto.

1 comentário:

Anónimo disse...

Boa noite, também adoro línguas da sogra! Infelizmente só conheço um sítio onde as vendem... em Vila Nova de Milfontes! Onde costuma comprar?